domingo, 23 de janeiro de 2011

Outros Roedores: Gerbil ou Esquilo da Mongólia

Essa postagem inaugura uma nova seção do blog, é a "Outros Roedores" uma seção que visa levar o conhecimento de outras especies bem como suas curiosidades e etc. Porém não irei me aprofundar nesse novos assuntos pra não perder o foco principal do blog, até porque não tenho outros roedores só um coelho. Serão postagens unicas sobre cada especie para apenas mostrar aos leitores que existem outros animas que também podem ser usados de estimação, quem se interessar e comprar um ou ja tiver  pode enviar fotos que também serão postadas no blog .



O que são Gerbils 

Gerbils são pequenos roedores que habitam regiões desérticas da Ásia Central, Índia, Oriente Médio e África.Eles têm a coloração tipicamente agouti com o ventre branco, podendo variar sua pelagem de cinzento a marrom avermelhado com as pontas dos pêlos pretas e o ventre pode ser de branco até um creme pálido. A cauda é coberta de pêlo, diferente da cauda de ratos e camundongos, e geralmente termina em um tufo de pêlos.

Seu nome científico é Meriones unguiculatus que significa "pequeno guerreiro com garras". A pelagem deve ter um brilho sedoso. Este brilho é causado por uma substância oleosa, excretada por uma glândula na barriga do gerbil. Ambos os sexos possuem esta glândula e eles podem deixar seu odor nos objetos ou neles mesmos apenas a esfregando contra eles.

Onde Vivem  
A estepe da Mongólia, onde o gerbil da Mongólia selvagem vive, é extremamente desértico. Devido ao fato de que não são muitos os animais que podem viver em tais circunstâncias, o gerbil não tem muitos inimigos naturais. Para escapar de tais inimigos, os gerbils podem pular muito bem. Essa capacidade de pular, que também auxilia bastante ne hora de escapar do ataque de gerbils rivais, é devido às suas fortes patas traseiras.
Os gerbils da Mongólia selvagens vivem em grupos familiares de cerca de 20 indivíduos; de todos estes, apenas um macho e uma fêmea alfa cruzam regularmente. Vivem em grandes tocas que consistem em várias câmaras para ninhos e para armazenar comida.

Batidas
Quando os gerbils estão alarmados ou excitados, eles batem suas patas traseiras ritimadamente no chão. É uma maneira de comunicar que há perigo por perto. Quando um gerbil de uma colônia produz batidas, os outros imediatamente param o que estão fazendo para escutar, podendo responder com batidas também. Outro tipo de batidas pode ocorrer no acasalamento, mas estas serão ignoradas pelos outros gerbils.As batidas associadas ao acasalamento são diferentes das batidas associadas ao perigo, e tanto os gerbils quanto donos de gerbil mais experientes conseguem perceber a diferença.
 
Limpeza 
Ao contrário dos hamsters, que se limpam sozinhos, os gerbils limpam e penteiam o pêlo uns dos outros. Isto é uma parte essencial da sociedade dos gerbils. Além de mantê-los limpos, o ato de pentear também faz parte de sua estrutura social.
Um gerbil dominante em geral penteará um submisso, para afirmar sua superioridade. Isto é visto mais freqüentemente quando dois gerbils são apresentados, mas continua a ocorrer durante todo o relacionamento, uma vez que pentear também tem a finalidade de mantê-los limpos. Às vezes, os machos penteiam a barriga das fêmeas quando estas estão prenhas.

Brigas 
Há dois tipos diferentes de briga, a briga de brincadeira e a briga de verdade. A primeira ocorre freqüentemente entre os gerbils mais jovens. Eles saltam uns sobre os outros, "brigam" por uns instantes e depois terminam penteando um ao outro. Nas brigas de verdade, os gerbils se atracam mais agressivamente e rolam em forma de bola, atacando um a garganta do outro e às vezes derramando sangue. 
Uma vez que dois gerbils tenham derramado sangue um do outro, a reconciliação será praticamente impossível. Este tipo de briga surge geralmente quando dois gerbils estão sendo apresentados, ou quando a relação de dominação é desfeita devido a instabilidades na ordem social da colônia. Grupos de três ou mais fêmeas tendem a ser instáveis e apresentarem brigas com mais freqüência que os grupos de machos, embora as brigas possam ocorrer também nestes grupos. 
Além disso, algumas vezes, gerbils pertencentes a grupos estabelecidos podem se voltar uns contra os outros quando colocados em um local desconhecido. Neste caso, principalmente quando ocorre com pares, os gerbils podem quase sempre se reconciliar. No entanto, se o comportamento se repetir diversas vezes, é melhor separar o par.

 Território
Algumas vezes, pessoas que têm certeza do sexo de seus gerbils podem se deparar com dois gerbils machos ou dois gerbils fêmeas "cruzando" um com o outro. Na realidade eles estão marcando uns aos outros com seu próprio cheiro, não cruzando. Para quem não possui muita experiência, pode parecer acasalamento, mas ambos são bastante diferentes. Marcar com cheiro é um segundo meio de mostrar superioridade sobre o outro gerbil, e pode ter certeza que nenhum filhote irá nascer!
No entanto, se você está na dúvida quando ao sexo de seus gerbils, peça ajuda a um criador experiente. Algumas vezes, os machos irão roçar suas barrigas nos objetos da gaiola, sinal de que estão marcando seu território. A substância usada para marcação é secretada por uma glândula localizada na barriga dos gerbils, em uma área sem pêlos.
 
Cuidados Especiais 
Gerbils são animais que vivem em grupo, portanto não devem ser mantidos sozinhos, ou poderão se tornar agressivos. Podem viver em pares do mesmo sexo ou de sexos opostos ou ainda em grupos de alguns machos e uma fêmea, mas não em grupos com mais de uma fêmea pois, sendo este o sexo dominante da espécie, elas podem eventualmente brigar pela liderança do grupo.
● Nunca dê banho ou molhe seus gerbils, pois podem contrair doenças graves como pneumonia e isso pode levar a morte do animal.
● Nunca segure um gerbil pela cauda. Para pegá-los, use as duas mãos e as aproxime calmamente, cercando-o.
● Para forrar a gaiola dos seus gerbils, não use jornal, serragem de pinus, cedro ou madeira tratada ou perfumada. Uma boa opção são os granulados higiênicos para gatos, papel toalha e até mesmo soja em grãos.
● Sempre lave as mãos antes de pegar nos gerbils, pois podem tentar beliscá-las com os dentes ao sentirem cheiros estranhos como de comida ou de outros animais.
● Mantenha sempre comida e água potável à disposição dos seus gerbils.

Filhotes 
 
Quase sempre, uma mãe come um filhote apenas quando está morto. A mãe comerá o filhote morto para que ele não contamine o ninho. A menos que você veja a mãe matando o filhote, não deduza que foi ela quem o matou. Se o filhote estava vivo e saudável, e você viu a mãe matá-lo, é possível que:
● ela não tenha proteína suficiente em sua dieta;
● o espaço para ela e os filhotes seja insuficiente;
● ela não tenha água suficiente disponível;
● você tem segurado muito os filhotes.
No caso 1, será necessário balancear a dieta de todos os seus gerbils, pois certamente toda a alimentação está errada, e reforçar a proteína na dieta da mãe (o que pode ser feito com pequenas minhocas, insetos ou ração para gatos).
Em geral o caso 2 ocorre quando há superpopulação de gerbils na gaiola. Se este for o caso, apenas remova os outros gerbils da gaiola, deixando apenas o pai, a mãe e os filhotes. Caso contrário, o problema deve estar no tamanho da gaiola. Compre uma gaiola maior.
No caso 3, apenas cheque a garrafinha de água com mais freqüência e certifique-se de que ela está acessível aos gerbils na gaiola. É extremamente importante manter água fresca disponível 24 horas por dia para todos os seus gerbils.
O caso 4 só costuma ocorrer com gerbils não muito acostumados à presença humana, embora também possa ocorrer com mães jovens, mesmo que sejam bem mansas. Neste caso, coloque a gaiola em um local tranqüilo e não mexa, exceto para checar água e comida.
Uma vez que uma mãe começa a matar a ninhada atual, pouco poderá ser feito para impedir que ela continue. Você poderá tentar colocar os filhotes com outra fêmea que esteja amamentando, ou mesmo tentar alimentá-los você mesmo (geralmente não se tem sucesso com esta última opção).
Para colocar os filhotes com outra fêmea, esfregue um pouco de maravalha com o cheiro da mãe adotiva em cada um deles, e misture-os bem com os filhotes dela. Às vezes, mesmo tomando estes cuidados, a fêmea reconhece os "intrusos" e os rejeita, mas mesmo assim é válido tentar.
A maioria dos casos de mães rejeitando e matando crias ocorrem com mães inexperientes, na primeira ninhada. Se este for o caso, dê à fêmea uma segunda chance, antes de decidir separá-la do macho.
No fim de sua vida reprodutiva, os gerbils tendem a ter ninhadas menores e menos saudáveis. Não é raro surgirem alguns natimortos ou filhotes que morreram poucos dias depois do nascimento, pela diminuição da qualidade do leite da mãe. Por isso, é muito importante reforçar vitaminas e proteínas na alimentação de mães mais velhas. Você poderá também reforçar a alimentação dos filhotes dando-lhes substituto de leite de cadela ou de gata (vendidos em lojas de animais), fazendo uma mistura com o dobro da quantidade de pó recomendada. 
Para dar o leite a filhotes muito pequenos, dobre um pedacinho de papel laminado em forma de um retângulo bem estreito, e envolva-o com um filme de plástico. Molhe o plástico no leite, que deverá estar morno, e coloque-o em contato com a boca do filhote. Para filhotes maiores, você poderá usar uma seringa pequena, sem ponta, ou um conta-gotas. Certifique-se de dar o leite bem devagar, pois se você der o leite rápido demais, ele poderá chegar aos pulmões do filhote, causando sérios danos.

 Olhos "Presos"
Às vezes, os olhos dos filhotes podem demorar um pouco mais para abrir, cerca de 24 dias. Se depois deste período os olhos não estiverem abertos ainda, tente umedecer levemente o olho com água boricada, usando um algodão molhado. Mas tome cuidado para molhar apenas o olho, e não encharcar o filhote! 

 Problemas Respiratórios
Por volta de 3-5 semanas, às vezes os filhotes podem apresentar problemas respiratórios. Se isto ocorrer, troque a forração imediatamente (você pode usar lenços de papel ou papel higiênico, provisoriamente) e consulte um veterinário especializado. Será necessário medicar o filhote e fazer um trabalho preventivo em toda a família.
A melhor maneira de evitar problemas respiratórios é usar uma forração adequada e caprichar na alimentação da mãe dos filhotes, pois quanto mais bem alimentada a mãe, melhor o leite, e melhor o sistema imunológico dos filhotes.

Falta de membros ou calda quebrada 
Estes problemas podem ser defeitos de nascimento ou serem provenientes de um acidente nos primeiros dias de vida. De qualquer forma se isto se repetir no mesmo casal, é recomendável não mais procriá-los. 

Créditos: Toca do Gerbil

4 comentários:

  1. adorei eu tenho um casal e adorei saber mais sobre els!

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Minha gerbil deu cria eles ja tão com 26 dias o que eu posso botar para eles comerem ?
    Posso botar pão ?

    ja agradeço
    Carlos

    ResponderExcluir
  3. Olá, recebi dois no meu aniversário e acabei com 21 gerbos,são muitos giros mas o meu pai deu todos, nem me deixou ficar com um macho, mas será que eles são tão amistosos como os hamsters ou são mais apropriados para observar?

    ResponderExcluir
  4. se o gerbil viver sozinho ele pode morrer ou ficar doente ou qualquer outra coisa por favor me respondam?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...